Internacionalização de empresas: 4 casos para se inspirar e entender melhor o processo

Emeritus |28 janeiro, 2020 | 6 - minutos para ler

As fronteiras do mercado de trabalho estão desaparecendo cada vez mais. As barreiras para expansão comercial e para importação e exportação de produtos e serviços também. Isso significa que há uma crescente busca pela internacionalização de empresas.

Esse processo pode se dar quando a empresa faz a importação de matéria-prima ou pela atuação direta em outro país. Muitas vezes, essa é a solução para que o negócio continue crescendo e conquiste os seus objetivos.

No entanto, apesar de vivermos em um mundo conectado e muitos recursos serem facilitados pelo uso da tecnologia, há diversos fatores que devem ser analisados antes de iniciar a internacionalização da empresa, pois esse não é um processo simples. Acompanhe a leitura para entender mais.

A importância da internacionalização para os negócios

A internacionalização é interessante para empresas que precisam driblar a competitividade de mercado em seu país de origem. Tal processo pode ser um diferencial do seu serviço e demonstrar a sua autoridade global.

É claro que, com a internacionalização, a empresa terá um crescimento da sua base de clientes e, consequentemente, de receita. Além disso, é possível que novas soluções e unidades sejam criadas e abertas para atender às demandas e necessidades existentes em outro país.

Sobre isso, é importante destacar que a internacionalização funciona quando há demanda no país escolhido para atuação. Por isso, o empreendedor não deve tomar essa decisão com base em sua opinião e intuição. É necessário fazer inúmeras pesquisas sobre o mercado para entender os riscos, as oportunidades e o contexto econômico, social e político do país em questão. Afinal, todos esses fatores impactam o seu negócio.

Como fazer o processo de internacionalização

internacionalização

O primeiro passo para iniciar o processo de internacionalização é verificar as condições financeiras da empresa. É preciso ter disponível um alto valor de capital de giro, pois há diversas burocracias e contratações a serem feitas. Em paralelo a isso, deve-se identificar os motivos que levam à internacionalização do negócio.

A partir dessa definição, será elaborada a estratégia de expansão internacional, assim como a identificação de tudo o que será necessário fazer para obter sucesso na operação em outro país. Além disso, as respostas a esses questionamentos também facilitarão na hora de verificar os resultados obtidos.

Estudo de mercado

Um ponto muito importante é a decisão do país em que será feita a expansão. A escolha não deve ser feita com base nas preferências e nos gostos do presidente da empresa ou da sua equipe. Deve-se realizar um estudo para analisar o mercado no local.

Nessa análise, devem ser identificados os hábitos e os comportamentos da cultura de consumo e do dia a dia da sociedade daquela localidade. Além disso, é importante verificar a situação política e econômica do país. Afinal, algumas políticas internas e instabilidades econômicas podem levar ao insucesso da sua operação e à perda do seu investimento.

Ainda sobre o mercado, identifique quem são os concorrentes e quais são as suas vantagens perante eles. Você pode ir além, validando protótipos do seu produto e avaliando a aceitação do público local. O estudo de mercado é um investimento que proporciona economia de tempo, dinheiro e energia, visto que você não alocará recursos em um projeto e uma operação que não lhe darão retorno.

Legislação e requisitos técnicos

Muda-se o país, mudam as leis e regras para comercialização de produtos e serviços. Em muitos casos, há uma legislação específica para as empresas que não são daquela nação. Por isso, pesquise e conheça todos os pontos que envolvem o seu segmento de mercado para evitar problemas após a instalação da operação no novo território.

Além de entender as regras e leis de comercialização no outro país, também é importante conhecer quais são os requisitos de exportação de onde a mercadoria sairá.

Dependendo da complexidade e do volume de pré-requisitos, pode ser interessante contratar uma assessoria jurídica para evitar problemas e garantir que as suas atividades estão regulares em todos os países em que a sua empresa atua.

4 casos de internacionalização de empresas

Há diferentes formas de se fazer a internacionalização de uma empresa. Alguns exemplos são a compra de empresas, a abertura de capital ou o início da operação. Por esse motivo, reunimos 4 cases de sucesso de organizações que foram bem-sucedidas em seu projeto. Confira o que elas fizeram para iniciar a operação em outros países.

Stefanini

A Stefanini, empresa de consultoria em TI, teve um crescimento sustentável no Brasil. Em 2001, usaram a mesma estratégia de expansão para iniciar a sua operação no exterior. Porém, o cenário se mostrou mais desafiador do que o esperado, pois não levaram em consideração que estavam lidando com culturas e legislações diferentes da brasileira. Apesar das adversidades, a empresa expandiu para países do continente americano — entre eles Chile, México e Estados Unidos.

Só depois disso eles iniciaram a estratégia de expansão por compra de empresas estrangeiras, em 2010 — apesar de a análise e o planejamento dessa estratégia ter começado dois anos antes.

A demora se deu pela necessidade de ponderar muito bem tal decisão em um cenário de crise econômica mundial como a da época. Pode-se dizer que a empresa foi bem-sucedida na sua internacionalização, uma vez que atualmente está presente em 40 países com 70 diferentes escritórios.

Votorantim Cimentos

A Votorantim Cimentos usou a estratégia de comprar empresas que são grandes players desse segmento de mercado. A consolidação do grupo como uma das maiores produtoras globais de cimento aconteceu em 2012 com a expansão para seis países diferentes.

Nesse período, a Votorantim fez a aquisição da empresa portuguesa Cimpor, que tem atuação também no Uruguai e na Argentina, assim como a compra de duas fábricas da Cemex nos Estados Unidos.

Alpargatas

Por mais que o produto Havaianas, da empresa Alpargatas, seja antigo, foi somente no início dos anos 2000 que a empresa começou o seu processo de internacionalização. Antes de iniciar a expansão para outros países, a Alpargatas entendeu que era preciso primeiro se tornar referência e uma marca forte no Brasil.

Com um reposicionamento de marca e ações eficazes de marketing e publicidade, tratando então as Havaianas como um acessório de moda, os chinelos das Alpargatas caíram na graça dos brasileiros. Logo na sequência, decidiram iniciar a exportação.

A operação era feita por parceiras que funcionavam como distribuidoras. Espanha, França e Itália foram os primeiros países a receberem os calçados. A escolha foi feita por sua influência no mundo da moda. Só após quase uma década, a empresa iniciou a sua operação própria pela Europa, além da expansão para outros continentes e países.

Resultados Digitais

A empresa catarinense de desenvolvimento de software Resultados Digitais iniciou o seu processo de internacionalização em 2018 com a abertura de escritórios no México e na Colômbia. A escolha por países de um mesmo continente se deu por conta da proximidade de cultura dessas nações e empresas.

Um fator levado em consideração na escolha desses dois países também se deu pela maturidade das empresas na execução de estratégias de marketing digital, em especial inbound marketing. Após um ano de estudo sobre o mercado e a tradução do produto e dos seus canais de comunicação, a empresa abriu escritório em Bogotá e na Cidade do México.

Nos dias de hoje, há empresas que iniciam a sua internacionalização a todo o momento. É claro que, nem sempre, o processo é feito de maneira bem-sucedida. Que tal ficar por dentro das novidades sobre esse assunto e aprender com esses feitos? Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail as novidades sobre internacionalização de empresas, assim como outros conteúdos exclusivos!

Comente

Receba Conteúdos exclusivos
sobre Business Management!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.