info Declaração sobre o COVID-19

Apesar de o vírus estar afetando a todos de formas diferentes, os nossos cursos online continuam, como planejado.
Considere a oportunidade de se juntar à nossa sala de aula global e online, tendo, dessa forma, uma experiência enriquecedora e interativa que vai estimular a sua carreira.

O que o profissional de marketing precisa ter para ser completo?

Emeritus |24 abril, 2020 | 6 - minutos para ler

Do que é feito um profissional de marketing completo? O que empresas e clientes esperam do profissional de marketing de hoje e daquele de amanhã?

O advento do digital fez o mundo do marketing girar 180º e, numa área em constante transformação, o primeiro desafio é não perder a capacidade de acompanhar as mudanças tão rápidas — e continuar entregando resultados no caminho. O blog da Emeritus Brasil traz para você cinco características que são fundamentais para o profissional de marketing completo de hoje. Boa leitura.

Guiado por dados

O big data no marketing digital já passou de promessa à realidade. Empresas coletam e armazenam dados como nunca antes. Estimativas apontam que, a cada dois anos, dobramos a quantidade de dados existentes no mundo. O desafio do profissional de marketing agora é transformar toda essa informação em análises, ações e receita.

Falar em data-driven decision making (a tomada de decisões guiada por dados) é um dos grandes lugares comuns dos departamentos de marketing de hoje, e esse movimento só deve se intensificar nos próximos anos. As notícias são ótimas para o profissional que estiver bem preparado para lidar com os dados e para decidir a partir deles.

Cada vez menos é admissível a ideia de que absolutamente qualquer coisa em marketing seja imensurável. Se pode ser feito, há de ser metrificado: esse é o mindset que se espera do profissional de marketing. Num mundo tão cheio de acrônimos, tem um que resume esse tópico: ROI — ou, retorno sobre investimento, da sigla em inglês. Quantos reais o seu marketing gera em receita para cada real que é gasto?

Ser T-shaped

Já ouviu falar em profissional T-shaped (literalmente, em forma de T)? A expressão existe em contraponto a um outro tipo de profissional, aquele que é I-shaped (em formato de I).

O profissional T-shaped se diferencia por apresentar seus conhecimentos em dois eixos: um vertical e outro horizontal — daí a referência à letra T. No eixo vertical, está a área principal de conhecimento. No horizontal, por sua vez, outras habilidades que complementam aquela. Um pouco abstrato? Vamos colocar isso em termos mais práticos.

Imagine um profissional de marketing que trabalha em uma construtora como gerente de área. Por mais que, naturalmente, seja esperado que sua área primária de conhecimento seja o marketing — eixo vertical —, é de se esperar que ele entenda sobre construção civil (área de atuação da empresa), vendas (a colaboração com a equipe de vendas é constante) e administração (cabe a ele administrar e prestar contas do orçamento da equipe). As habilidades contidas nessas áreas formam o eixo horizontal.

Inovação

Inovação, disrupção e destruição criativa são alguns termos que, nos últimos anos, migraram do universo das startups para o mainstream empresarial. Todos querem inovar e, cada vez mais, fazê-lo é visto como uma questão de sobrevivência — não mais de diferencial competitivo.

A cobrança por ir além das cartilhas e do beabá e entregar inovação só deve crescer, e o profissional de marketing completo terá que aliar as ferramentas certas à criatividade e à capacidade de vender suas ideias para líderes e gestores. Depois, é claro, transformá-las em resultados.

Da parte das empresas, esse é um processo em curso. Enquanto nativas digitais têm em seu DNA as condições propícias à inovação, outras, mais tradicionais, correm atrás do prejuízo e mudam suas estruturas, desengessando processos e criando hubs de inovação.

Visão analítica e comunicação

profissional de marketing

O profissional de marketing vende — interna ou externamente — sua capacidade de diagnosticar e receitar o remédio. Deixando as metáforas de lado, estamos falando de entregar uma visão analítica. Um gerente de marketing de uma grande empresa, por exemplo, comumente tem que responder a um diretor ou executivo c-level que não tem a mesma amplitude de conhecimento sobre marketing. Cabe a ele entender a situação, vender a solução e apresentar os resultados.

Em empresas que vendem serviços quaisquer de marketing, isso é ainda mais comum. O cliente até sabe o que quer (mais leads qualificados chegando para os seus vendedores, por exemplo), mas é o profissional de marketing que deve ter a capacidade de olhar para estratégias, processos e dados e dizer: você não gera leads qualificadas por causa de determinado motivo e é assim que vamos passar a gerá-las.

Aprendizado contínuo

O marketing muda rápido — muito rápido. Quer um exemplo? Até 2011, as buscas por “marketing de conteúdo” no buscador do Google eram, basicamente, irrelevantes. Menos de 10 anos depois, 67,3% das empresas utilizam dessa estratégia e 85% das que não o fazem têm interesse em começar. Esse é o marketing: a última revolução se torna o padrão em um piscar de olhos.

Estratégias, ferramentas, softwares e conceitos surgem o tempo todo, e o profissional de marketing sente na pele a cobrança por acompanhar essa rotina de novidades. Termos como marketing 2.0 pipocam para pouco depois falarmos em 3.0, 4.0 — ao ponto que fica difícil acompanhar em qual versão estamos. Mas não tem como fugir: o profissional de marketing precisa viver um rotina de aprendizado contínuo, treinamento e desenvolvimento.

Além de fazer do estudo algo rotineiro, acompanhando outros profissionais, blogs e newsletters da área, esse profissional pode trazer capital (social, intelectual e de marca) por meio de cursos de marketing digital. E nós, da Emeritus Brasil, temos um convite a você.

A Emeritus traz ao Brasil, pela primeira vez em português, o curso de Business Analytics da Cambridge Judge Business School Executive Education, escola integrante da Faculdade de Negócios e Gestão da Universidade de Cambridge.

O curso é ministrado pelos doutores Nektarios (Aris) Oraiopoulos, PhD pela Georgia Institute of Technology, especialista em tomada de decisão em negócios e com passagens por British Telecom, HSBC e Johnson & Johnson; e David Stillwell, professor de big data analytics e ciência social quantitativa em Cambridge e vice-diretor do Psychometrics Centre.

O curso é dividido em 9 módulos e passa por temas como análise preditiva e descritiva de dados e oportunidades de negócio em big data. São palestras em vídeo, webinars ao vivo, sessões de esclarecimento de dúvidas e todo o suporte da equipe da Emeritus.

Se você quer dar um belo passo para ser um profissional de marketing completo, pronto para transformar números em resultados — e colocar as marcas da Universidade de Cambridge e da Emeritus no seu currículo —, conheça nosso curso deBusiness Analytics.

Saiba qual curso do Emeritus tem tudo a ver com você!Powered by Rock Convert

Comente

Receba Conteúdos exclusivos
sobre Business Management!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.