info Declaração sobre o COVID-19

Apesar de o vírus estar afetando a todos de formas diferentes, os nossos cursos online continuam, como planejado.
Considere a oportunidade de se juntar à nossa sala de aula global e online, tendo, dessa forma, uma experiência enriquecedora e interativa que vai estimular a sua carreira.

Peer-to-peer lending: como funciona esse formato alternativo de investimento?

Emeritus |01 julho, 2020 | 6 - minutos para ler

O início do ano de 2020 foi marcado por bruscas quedas de diversas bolsas de valores ao redor do mundo, levando até mesmo a circuit breakers históricos em muitos países, como o Brasil. Consequentemente, pessoas físicas perderam muito dinheiro e estão receosas de realizar novos investimentos. Nesse cenário, o peer-to-peer lending (P2P) pode ser um formato alternativo e rentável de aplicação

Com o crédito recebido, organizações podem garantir a execução de suas estratégias, como o marketing digital, para minimizar o impacto nas vendas.

Além disso, é uma forma de auxiliar as pequenas e médias empresas a passarem por esse momento no qual eles são os principais impactados pela crise econômica. Então, convidamos você a entender mais sobre esse tipo de investimento que pode ser rentável e ainda ajudar a economia de sua cidade e seu país.

O que é peer-to-peer lending?

O peer-to-peer lending é uma forma de investimento e empréstimo de pessoas físicas para pessoas jurídicas por meio de uma plataforma digital e sem o intermédio de um banco. Em geral, os investidores têm um retorno melhor; e para os credores, os juros são mais baixos.

O funcionamento é simples: investidores e empresas devem, primeiro, cadastrar-se nas plataformas de P2P. Assim, as organizações fazem a solicitação de empréstimo após uma série de fatores serem analisados pela empresa intermediária. Cabe ao investidor analisar todas as solicitações disponíveis e decidir em quem e quanto investirá em determinado negócio.

Esse modelo alternativo de investimento surgiu em 2005 no Reino Unido e gradualmente ganhou espaço em mercados ao redor do mundo. No Brasil, o peer-to-peer lending começou a ser usado em 2011. Seu surgimento por aqui foi marcado pelo início da atuação de três empresas: Nexoos, Biva e Banca Club.

A Nexoos, por exemplo, já financiou mais de R$300 milhões para pequenos e médios empreendedores. A empresa ficou conhecida não só pelo modelo de P2P, mas também por sua metodologia ágil de financiamento, sem deixar a segurança de lado, além de não requisitar garantias reais por parte dos investidores — o que facilita a conquista de um público maior.

Outro exemplo é a Biva, que intermedeia o financiamento de empresas de vários segmentos, inclusive, disponibiliza linha de crédito estudantil. Entretanto, ela conquistou o mercado brasileiro ajudando companhias de tecnologia. A startup já auxiliou o aporte de cerca de R$24 milhões para mais de mil negócios de todo o Brasil.

Como é a taxa de retorno?

Para verificar os lucros reais e fazer uma análise da melhor aplicação em P2P é preciso entender sobre as taxas de juros e o retorno que isso pode trazer. Primeiro em relação aos juros: assim como em investimentos bancários, as taxas variam de instituição para instituição. Normalmente, a análise de crédito e o prazo do empréstimo são os fatores considerados para defini-las.

Sobre a taxa de retorno, isso dependerá muito do segmento no qual o investimento é feito. Contudo, independentemente disso, os índices de rentabilidade são melhores que o retorno de investimentos em tesouro direto, CDB e poupança.

Mesmo com o retorno mais vantajoso do que em outros modelos de investimento, é preciso ficar atento à inadimplência, pois, infelizmente, é praticamente inevitável nesses casos. Entretanto, os índices ainda são mais animadores do que é visto nos empréstimos concedidos a empresas por bancos.

Em alguns países já existe um fundo de garantia formado pelas empresas intermediadoras do peer-to-peer lending. Dessa forma, em caso de atraso do pagamento superior a três meses, é usado o dinheiro do fundo para pagar o investidor com os juros prometidos.

Para evitar a inadimplência é recomendado investir em diversos segmentos de mercado, assim como em várias plataformas de P2P — além da possibilidade de participar de empréstimos coletivos para minimizar os riscos.

O momento econômico é desafiador, portanto, o peer-to-peer lending pode ser uma excelente maneira de investir dinheiro de modo a garantir mais oportunidades de retorno.

Mas se você está pesquisando as diferentes possibilidades de investimento que existem hoje, recomendamos a leitura do nosso artigo sobre as oscilações na bolsa de valores!

Saiba qual curso do Emeritus tem tudo a ver com você!Powered by Rock Convert

Comente

Receba Conteúdos exclusivos
sobre Business Management!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.