info Declaração sobre o COVID-19

Apesar de o vírus estar afetando a todos de formas diferentes, os nossos cursos online continuam, como planejado.
Considere a oportunidade de se juntar à nossa sala de aula global e online, tendo, dessa forma, uma experiência enriquecedora e interativa que vai estimular a sua carreira.

Características de um líder do futuro e como desenvolvê-las

Emeritus |17 junho, 2020 | 6 - minutos para ler

Palavras são, inegavelmente, importantes. O nome que damos às coisas dizem algo sobre nós e sobre o meio em que estamos inseridos. É curioso, por exemplo, pensar em quando deixamos de falar em chefia para falar em liderança e gestão de pessoas. Ou quando funcionários passaram a ser colaboradores. É claro que, nem sempre, essas mudanças têm substância, mas parece difícil negar que algo mudou. Afinal, se não falamos mais em chefes, mas sim em líderes, como definir o líder do futuro?

A imagem tão consolidada do chefe autoritário, intransigente e aos gritos parece cada vez mais distante dos ideais da maior parte das empresas que se transformam em cases de sucesso na nossa época. No entanto, liderar pessoas continua a guardar uma ótima dose de desafios — alguns velhos conhecidos, outros bastante novos.

Fique conosco e confira as 5 características do líder do futuro que o blog da Emeritus separou para você e como desenvolvê-las.

5 características de um líder do futuro

O imperativo de assumir riscos, o ato de empoderar para a inovação, as soft skills e mais.

1. Sabe avaliar e assumir riscos

“Se você não assume riscos, vai sempre trabalhar para alguém que o faz” — Nora Denzel, membra do conselho administrativo da Ericsson e da AMD, entre outras.

O líder do futuro analisa dados, o contexto e as circunstâncias e sabe quando assumir riscos. Numa época em que duas em cada duas empresas sustentam discursos sobre inovação, disrupção e destruição criativa, nem todas têm a cultura, as condições ou a liderança necessária para assumir riscos que são inerentes àqueles que inovam — falaremos mais sobre isso.

Uma outra frase famosa, essa de Elon Musk, diz que algo, quando é importante o bastante, deve ser feito mesmo que as probabilidades não estejam a favor. Esse terreno é um dos mais sensíveis e recompensadores para os que estão em posição de liderança: o entendimento de que aqueles que efetivamente entregaram disrupção assumiram riscos invariavelmente altos.

2. É adepto à inovação

líder do futuro

"Inovação distingue um líder de um seguidor" — Steve Jobs, fundador da Apple

Em uma pesquisa com 100 CEO’s brasileiros encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em 2019, a resposta mais comum para a pergunta “por que inovar?” foi “sobrevivência no longo prazo”. Essa resposta cresceu 14% em ocorrência em relação a 2015. Respostas como “vantagem competitiva” caíram e outras como “aumento da lucratividade” pontuaram abaixo dos 5%.

A moral da história é que inovar é, hoje, imperativo — não uma opção, não sobre ser melhor; é sobre continuar existindo. Liderar para inovação não é sobre ter ideias de um bilhão de dólares uma vez por trimestre, é claro, mas sobre guiar times com mindset inovativo e empoderados para pensar fora da caixa, planejar e executar soluções inovadoras.

3. Tem e sabe usar as soft skills

“Nós contratamos pelas hard skills; demitimos por causa das soft skills” — Richard Stephens, vice-presidente da Boeing

Usar com excelência esse ou aquele software é uma hard skill. Pode ser difícil, muito difícil, mas potencialmente é uma questão de sentar, estudar, praticar e aprender. Você corre atrás.

As soft skills, por outro lado, podem representar um desafio um tanto mais difícil. Empatia, carisma, habilidade organizacional, capacidade de motivar e transmitir paixão e inteligência emocional são algumas das chamadas soft skill que viraram commodities valorizadas no mercado de trabalho. 60% das empresas consideram viver uma crise delas.

Saber trabalhar essas habilidades e aplicá-las na sua liderança é uma — bem, várias — característica que só tende a ser mais valorizada por altos executivos, shareholders e departamentos de recursos humanos.

4. São guiados por dados

“Em Deus nós confiamos, todos os outros devem trazer dados” — William Edwards Deming, estatístico e professor universitário americano

Não custa bater mais um pouco nessa tecla: o líder do futuro será guiado por dados. Big data e business intelligence serão a força motriz da administração e gestão de empresas, orçamentos e pessoas ao longo das próximas décadas.

O desafio é ser o profissional capaz de transformar os dados que já existem em dados que levam às decisões certas nos momentos exatos. Não é só sobre ter as ferramentas certas, mas também sobre como analisar a informação geradas por ela.

5. É o líder da era digital

“O maior impedimento para o sucesso futuro de uma empresa é o seu sucesso passado” — Dan Schulman, CEO do PayPal

O líder do futuro é o líder da Indústria 4.0; o líder da era digital. O desafio de hoje (e provavelmente de amanhã e depois) é entregar a tão falada transformação digital ou, em outras palavras, fechar o gap entre consumidores cada vez mais digitalizados (muito deles nativos desse universo) e empresas que ainda são, em amplo sentido, analógicas.

Entender o que clientes esperam de plataformas, interfaces e produtos — que tipo de experiência leva ao sucesso —; desenvolver e acompanhar os KPIs certos para esse novo mundo e reinventar tudo isso constantemente e guiado por dados são alguns dos desafios que deverão ser conduzidos pelo líder do futuro.

Como se tornar um líder do futuro

A palavra de ordem é reskilling: a capacidade de não abandonar uma rotina de estudos e requalificação. O tempo histórico acelerou-se e nunca mudamos tanto em tão pouco tempo. Perder a capacidade de se reinventar e adquirir novas habilidades é perder o bonde da história.

E se você acredita nisso tanto quanto nós, então temos um convite. A Emeritus trouxe ao Brasil, pela primeira vez em português, o curso de liderança de Business Analytics da Cambridge Judge Business School Executive Education, escola associada à Faculdade de negócios da Universidade de Cambridge, uma das mais tradicionais e renomadas do mundo.

O curso é ministrado pelos doutores e professores Nektarios (Aris) Oraiopoulos e David Stillwell, da Universidade de Cambridge, de forma totalmente online e passa pelos seguintes temas:

  • previsão de resultados futuros por meio da escolha do algoritmo de machine learning apropriado à sua empresa;
  • como criar uma organização guiada por dados;
  • análise descritiva e preditiva de dados;
  • web scraping e mais.

Ao fim do curso, é claro, você recebe seu certificado e leva as marcas da Emeritus e da Universidade de Cambridge para seu currículo. Quer dar um passo hoje para se preparar para ser o líder do futuro? Conheça nosso curso de Business Analytics.

Saiba qual curso do Emeritus tem tudo a ver com você!Powered by Rock Convert

Comente

Receba Conteúdos exclusivos
sobre Business Management!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.