info Declaração sobre o COVID-19

Apesar de o vírus estar afetando a todos de formas diferentes, os nossos cursos online continuam, como planejado.
Considere a oportunidade de se juntar à nossa sala de aula global e online, tendo, dessa forma, uma experiência enriquecedora e interativa que vai estimular a sua carreira.

Inovação: cultura e desafios

Emeritus |05 novembro, 2019 | 6 - minutos para ler

Em tempos de transformação digital e tecnologias cada vez mais disruptivas, que transformam os negócios e reinventam a realidade, inteligentes e visionários são os líderes que veem a inovação como o grande diferencial competitivo de uma empresa. Porém, a adoção pura e simples de novas ferramentas não basta para ser bem-sucedida.

É necessário encarar uma nova cultura, que permita a todos os colaboradores trabalharem pela inovação em cada uma de suas tarefas diárias. Por exemplo, uma companhia na qual os líderes tenham uma postura autoritária e pouquíssimo diálogo não consegue dar voz aos funcionários — por mais criativos e cheios de ideias que eles sejam.

Lugares assim enfrentam problemas e barram inovações muito por não terem uma cultura aberta ao erro. E esse fato pode ser o grande divisor de águas de uma empresa: de acordo com a McKinsey, organizações brasileiras que contam com líderes com maturidade digital alcançam uma taxa de crescimento do EBITA (Earnings Before Interest, Tax and Amortisation) até três vezes maior que as demais.

Se o seu objetivo é caminhar lado a lado com a inovação, e não correndo atrás das novidades, é necessário repensar toda a cultura da companhia. Na sequência, você entende mais sobre isso.

Como inovar em uma empresa?

É bastante comum as pessoas relacionarem a inovação com tecnologias de ponta. Mas a questão é bem mais complexa. Assim, a cultura de inovação vem antes, inclusive, da adoção de novas ferramentas e softwares de última geração.

Todo líder deve ter em mente que a tecnologia, sozinha, não é capaz de alavancar uma empresa. Ela até podem poupar tempo em determinadas tarefas, entretanto, são os funcionários motivados e qualificados que fazem a diferença.

Cultura e liderança

Com certeza você já ouviu falar em lideranças verticais e horizontais, certo? No primeiro caso, temos os líderes, com postura de chefe, tomando muitas decisões solitárias — sem abrir espaço para a maior parte dos colaboradores, focando apenas no lucro e naqueles produtos ou serviços de sucesso. Essas empresas acabam enfrentando problemas em lidar com o novo e, em diversas vezes, ficam à margem da inovação.

De modo diferente, nas empresas que contam um sistema horizontal, no qual os líderes dão mais chance aos colaboradores, o trabalho acaba sendo conjunto e há mais visões, o que podem levar a organização sempre em frente. Isso tudo agrega valor e conhecimento ao desenvolvimento das ações que serão executadas, ou seja, há muito mais chance de se pensar fora da caixa, de criar novidades e fazer a diferença.

Esse último tipo de companhia tem uma cultura mais aberta à inovação, uma vez que todos podem opinar, são ouvidos, há feedbacks constantes e, assim, os funcionários se tornam mais engajados e motivados a crescer junto com a empresa.

Como trazer a cultura de inovação para uma companhia?

inovação

É preciso pensar a cultura organizacional como a identidade, o DNA da companhia, que vai muito além da missão, da visão e dos valores. Isso se deve ao fato de que a cultura envolve regras, crenças e hábitos que precisam ser compartilhados com todos os colaboradores. Assim, todos sabem que estão unindo esforços para um bem comum.

Nesse sentido, é fundamental repensar a cultura da empresa e facilitar que os novos valores e crenças se integrem ao dia a dia dos funcionários. Na sequência, confira algumas práticas que podem facilitar esse processo.

Ofereça um ambiente confortável

A inovação tem muito a ver com errar, aprender com o erro e seguir tentando com mais conhecimento e habilidade. Ou seja, se na primeira tentativa de um produto ou serviço novo algo sair do planejado e os envolvidos forem culpados e pressionados, fica difícil seguir em frente.

Adotar a cultura do erro é entender que o momento é disruptivo e nem sempre vai se acertar de primeira. O importante é entender que as escolhas que não deram certo serviram de experiência e que ambientes opressivos não permitem essa cultura.

Qualifique os seus colaboradores

Quando se tem bons talentos, é mais fácil treiná-los para as novas tecnologias do que contratar pessoas de fora. Isso acontece porque você já tem pessoas de confiança e que se identificam com a empresa. Além disso, ao treinar os atuais colaboradores, você motiva e dá mais poder a eles, fato que diminui o turnover da companhia.

Dessa maneira, treinamentos são fundamentais para reciclar conhecimentos e fazer com que os seus funcionários se sintam importantes e engajados.

Promova uma boa comunicação interna

Dados restritos a gerentes e supervisores, decisões importantes por motivos ocultos, novas estratégias sem muita explicação… Atitudes assim geram ruído entre todos na empresa e fazem com que os colaboradores não entendam os motivos que guiam a companhia.

Quando se tem uma comunicação eficiente, é mais fácil seguir em uma mesma direção. Reuniões e informes periódicos são uma excelente forma de deixar todo mundo na mesma página.

Invista em tecnologia

Softwares de automação são excelentes para automatizar tarefas burocráticas e repetitivas enquanto você libera os seus funcionários para desenvolverem estratégias, pensarem em produtos criativos, entre outros.

Deixar claro na organização que a automação é para dar mais poder aos colaboradores permite que eles não sintam receio da tecnologia, fato que pode ser comum em lugares que ainda não valorizam tanto a inovação.

Quais são os benefícios de adotar a cultura de inovação?

Em um momento de Revolução 4.0, a inovação é o que permite que uma empresa se firme e seja competitiva em sua área. Promover uma transformação digital eficiente é o grande diferencial, principalmente pelos motivos citados logo abaixo.

Resolver problemas impossíveis

Já falamos em disrupção, mas o fato é que, enquanto você lê este texto, novos produtos e serviços estão sendo pensados ou criados a partir da compreensão das necessidades das população. Foi assim com a Netflix, o Airbnb, a Amazon etc.

Então, quando você abre a empresa para o diálogo, ouvindo clientes e funcionários, consegue lançar o que a concorrência ainda nem sonha, resolvendo problemas impossíveis até então.

Ter um diferencial competitivo

Um produto inovador e bem trabalhado faz com que os seus concorrentes corram atrás de você, não o contrário. Além disso, pensar em técnicas sustentáveis para esse lançamento faz com que a sua organização ganhe fama e tenha um caráter único no mercado. Lembre-se de que o lucro é importante, mas clientes satisfeitos e um bom branding também são essenciais.

Otimizar a produtividade

Quando se aposta em softwares e tecnologia de ponta, os processos ganham em tempo e dinheiro. Um bom exemplo é a automação de marketing, que automatiza tarefas extremamente repetitivas, deixando a equipe de planejamento com mais tempo para criar conteúdos e estratégias, enquanto o time de vendas recebe leads mais maduros.

Nesse sentido, um bom líder conversa com todos os seus supervisores para pensar em estratégias e novos processos que serão bem-vistos por todo o time.

A inovação só é possível quando a liderança entende que ela deve estar inserida na cultura da empresa, fomentando a criatividade e o engajamento de todo o time. Quanto antes a sua organização estiver vencendo os desafios que possam barrar o processo, melhor para a saúde dela.

A digitalização alterou profundamente a forma como fazemos negócios. Por isso, o nosso convite é para que você leia o nosso guia completo de empreendedorismo na era digital para repensar os seus processos!

Comente

Receba Conteúdos exclusivos
sobre Business Management!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.