info Declaração sobre o COVID-19

Apesar de o vírus estar afetando a todos de formas diferentes, os nossos cursos online continuam, como planejado.
Considere a oportunidade de se juntar à nossa sala de aula global e online, tendo, dessa forma, uma experiência enriquecedora e interativa que vai estimular a sua carreira.

Qual é o futuro das profissões e como se capacitar?

Emeritus |02 julho, 2020 | 6 - minutos para ler

Automação de processos, Inteligência Artificial (IA), Business Intelligence (BI) e Cloudcomputing são tecnologias da informação que vêm transformando cada vez mais os nossos hábitos, exigindo uma nova postura no futuro das profissões. Assim, tanto as organizações quanto as pessoas terão de se adaptar a elas.

A questão já não é mais qual empresa tem o maior recurso financeiro ou o patrimônio físico para ser mais competitiva, uma vez que as companhias vem sendo vez mais diferenciadas por ativos intangíveis, especialmente pelos capitais humano e intelectual. Logo, como se preparar para esse novo mundo?

Neste artigo, apresentamos um panorama sobre o futuro das profissões, bem como as melhores práticas para se capacitar e sobreviver às mudanças. Continue lendo para tirar todas as suas dúvidas e tomar decisões mais adequadas em seu negócio!

O avanço da tecnologia no mundo das profissões

Em estudo de recente, a PWC Brasil fez um resumo dos efeitos da transformação digital no trabalho e nas profissões. O cenário é de grande preocupação em se desenvolver novas competências, para evitar um gap entre o que as pessoas dominam e o que elas necessitam na Era Digital.

A pesquisa mostra que 92% dos brasileiros adultos já veem a necessidade de requalificação. A incerteza sobre o futuro é um dos maiores temores dos profissionais (43%), ainda que muitos vislumbrem a possibilidade de aumento da produtividade (46%) e de um trabalho mais interessante (44%). E aqueles que enxergam a automação como ameaça já chegam a 45% dos entrevistados.

Outro estudo interessante é trazido pelo ManpowerGroup. No relatório Escassez de Talentos 2020, o número de empresas que relatam a falta de pessoas com competência, que era de 30% em 2010, chegou a 54% em 2019, maior número registrado pela pesquisa. No Brasil, o resultado fica entre 41% e 52%.

A consultoria de Recursos Humanos traz, ainda, informações interessantes sobre os impactos da transformação digital no Brasil. Na pesquisa Revolução das Competências 4.0, 64% das empresas brasileiras estavam qualificando seus profissionais, e a projeção é que o número chegue a 92% em 2020.

O relatório também conclui que existe um crescimento da procura por habilidades humanas, como criatividade, capacidade de processar informações complexas, habilidades sociais e emocionais, bem como das competências relacionadas à Tecnologia da Informação.

Resumindo, as organizações estão buscando desenvolver competências para lidar com as consequências dos avanços científicos e tecnológicos. Portanto, estar preparado para essa nova realidade é essencial.

As habilidades esperadas para o profissional do futuro

A tendência é que as chamadas soft skills entrem cada vez mais em foco. O conceito se refere às competências de relacionamento interpessoal e ligadas à personalidade, como inteligência emocional, visão sistêmica, comunicação, liderança e pensamento estratégico.

Por sua vez, as hard skills — competências técnicas — estarão cada vez mais apoiadas na Tecnologia da Informação, além de terem de passar por constantes atualizações para acompanhar o ritmo das mudanças. A seguir, listamos as competências fundamentais.

Inovação

A velocidade das mudanças cria um cenário em que os profissionais são constantemente chamados a apresentar novas soluções e ajustar as já existentes. Por isso, é importante não depender apenas de momentos inspiradores para se inovar.

Design Thinking, por exemplo, ganhou espaço nesse contexto. A partir dele, os profissionais têm um caminho lógico e repetível para identificar oportunidades de mercado e criar soluções inovadoras, não dependendo do acaso.

Marketing Digital

As competências técnicas de marketing sempre tiveram boa sinergia com as habilidades de administração. No nível individual, facilitam o reconhecimento das competências profissionais, enquanto no organizacional auxiliam o entendimento dos desejos e necessidades dos skateholders, ajudando a definir a melhor estratégia de comunicação.

Assim, à medida que ocorre a migração para os meios digitais, os profissionais precisam entender essa nova realidade e caminhar juntos. Do contrário, terão dificuldades para tomar decisões e comunicar com eficiência.

Gestão de pessoas

Também é importante que os gestores — que em inúmeros casos exercem funções de liderança — realizem uma gestão de pessoas compatível com as exigências das competências digitais, valorizando o potencial humano e atendendo à necessidade de desenvolvimento de hard e soft skills.

Um bom exemplo pode ser extraído do livro "Recursos Humanos: o capital humano das organizações", de Idalberto Chiavenato. Nele, o autor lista três características essenciais para gestão de pessoas:

  • ver profissionais como parceiros da organização, que entregam valor e esperam retornos da empresa;
  • entender as pessoas como elementos vivos, capazes de aprender, criar, inovar e se desenvolver;
  • valorizar as diferenças em vez de tentar padronizar os colaboradores.

Tomada de decisão

A tomada de decisões também precisa mudar, sendo necessário que os gestores hajam com base em dados e pesquisas. A importância da intuição não é excluída, mas é essencial buscar fundamentos que revelem a validade do que foi proposto.

Flexibilidade, adaptação e capacidade de aprender

Como a tendência é a permanência do cenário de incerteza e rápidas mudanças, a adaptabilidade e flexibilidade ganham protagonismo. Além disso, o domínio dos métodos ágeis é relevante para que as decisões e medidas ocorram em tempo útil.

Mais importante ainda será a capacidade de aprender. No futuro das profissões, hard e soft skills devem constantemente ser aprimoradas, incorporando as novidades teóricas e práticas para estar apto a gerar valor.

Quem não se adequar às mudanças certamente ficará para trás, pois haverá um gap de competências em relação ao necessário para atender aos requisitos dos stakeholders e lidar com o contexto de negócios. Logo, poderá haver perda competitividade e de espaço.

As principais profissões tendência

As profissões do futuro serão aquelas que melhor se adaptam à tecnologia e ao uso das habilidades humanas, bem como as nascidas já nesse contexto. Pegando as áreas essenciais do negócio como exemplo, veja algumas mudanças.

Gestão e Administração

Com a parte burocrática e repetitiva nas mãos dos softwares, os relatórios, documentos e a manutenção de registros já não serão o cerne do trabalho. O profissional será demandado por uma atuação mais estratégica, pelo pensamento crítico e pela capacidade de relacionamento humano.

A consequência é uma estrutura administrativa mais enxuta, focada em identificar oportunidades de mercado, inovar e gerir pessoas. Igualmente, perdem espaço os profissionais que se especializaram em tocar as atividades burocráticas e que apenas chefiam em vez exercer a liderança no contexto digital.

Recursos Humanos

O profissional de Recursos Humanos, por sua vez, será um dos mais valorizados no futuro das profissões, desde que compreenda as mudanças e assuma um papel estratégico.

Perdem espaço, nesse cenário, os profissionais de Departamento Pessoal, pois o número de colaboradores para tocar a área será menor devido ao uso de softwares de gestão. Crescem, por outro lado, os profissionais mais focados em crescer o capital humano, especialmente nas áreas de recrutamento e seleção, treinamento, gestão de talentos e administração de benefícios.

Marketing

O desafio no Marketing, por sua vez, é lidar com as mudanças nos meios de comunicação com o público. O volume de informações disponível e a migração para as mídias digitais colocam novos requisitos para ter sucesso nas atividades da área.

Com efeito, os profissionais que dominam essa nova realidade e conseguem usar os recursos tecnológicos nas estratégias tendem a ocupar as melhores posições.

Tecnologia da Informação

futuro das profissões

Para encerrar, as profissões ligadas à Tecnologia da Informação se destacarão, sendo típicas profissões do futuro. Afinal, as empresas estão sedentas por competências digitais para integrar seus capitais humanos.

A maior valorização profissional estará nas carreiras capazes de entregar, mais diretamente, diferenciais competitivos e resultados financeiros, como as relacionadas à BI, Big Data, People Analytics, Inteligência Artificial e segurança da informação. Essas crescerão mais do que setores de suporte e manutenção.

A preparação para o futuro das profissões

O ponto central é identificar quais são os gaps de competência técnica e comportamental. Assim, procure entender quais hard skills e soft skills citadas mais diretamente impactam as suas atividades e busque a qualificação profissional.

O ideal é aliar teoria e prática. A teoria ajuda a olhar problemas e situações por todos os ângulos possíveis, simplificando o caminho até a solução. Já a prática é essencial para transformar o saber (conhecimento) em habilidades, atitudes e julgamentos adequados.

Sendo assim, para acompanhar o futuro das profissões, procure cursos alinhados às novas competências técnicas e comportamentais. Ademais, priorize as formações que abordam cases e experiências profissionais, o que vai fazer toda a diferença para sobreviver às mudanças.

Para acelerar esse desenvolvimento profissional, conheça os cursos da Emeritus em parceria com as mais importantes escolas de negócio do mundo e prepara-se para ser um profissional do futuro!

Saiba qual curso do Emeritus tem tudo a ver com você!Powered by Rock Convert

Comente

Receba Conteúdos exclusivos
sobre Business Management!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.