info Declaração sobre o COVID-19

Apesar de o vírus estar afetando a todos de formas diferentes, os nossos cursos online continuam, como planejado.
Considere a oportunidade de se juntar à nossa sala de aula global e online, tendo, dessa forma, uma experiência enriquecedora e interativa que vai estimular a sua carreira.

Benefícios da diversidade nas organizações e como promovê-la

Emeritus |01 Maio, 2020 | 6 - minutos para ler

No início de 2020, a notícia de que o banco Goldman Sachs não coordenará IPOs para empresas que não tenham mulheres ou representantes de minorias em cargos de direção. Tal fato comprova que a diversidade nas organizações não é apenas algo para cumprir leis.

O anúncio do banco norte-americano só comprova o aumento notável da discussão acerca do assunto. De acordo com uma publicação realizada pelo Google, a busca pelos termos diversidade e inclusão cresceu 71% e 24% respectivamente no ano de 2019. Algumas organizações já têm setores especiais para pensar e agir de maneira estratégica, a fim de ampliar a diversidade.

Entretanto, ainda existem algumas dificuldades de compreensão sobre o que é diversidade e inclusão, sobre os benefícios de apostar nessa iniciativa e como fazer para aumentar a representação de minorias nas empresas. Se você tem alguma dúvida sobre esse assunto, continue a leitura.

O que é diversidade nas organizações

É muito comum o conceito de diversidade estar atrelado à inclusão de pessoas deficientes. Porém, vai muito além disso. De modo simples e direto, diversidade nas empresas significa ter um ambiente plural quanto a perfis e comportamentos. Ou seja, são organizações que fazem a contratação de pessoas diversas no que se refere à raça, à crença, à orientação sexual, ao gênero, às nacionalidades, às culturas e à idade.

Por mais que hoje seja comum o debate sobre inclusão e que os millenials levem em consideração o quanto a empresa é diversa na hora de escolher um emprego, o assunto só chegou no Brasil na década de 1990 junto à globalização econômica.

A relação entre diversidade e globalização se dá com o avanço da tecnologia. Em um mundo mais conectado, as empresas passaram a atender um público mais diverso — pessoas com hábitos, culturas, gêneros, idades e crenças diferentes. Dessa forma, para conseguir se comunicar e ganhar espaço em diferentes grupos, era preciso entender e viver tal diversidade.

Os primeiros movimentos de diversidade nas organizações foram simples replicações do que acontecia em empresas norte-americanas e que também atuavam em território brasileiro. Em paralelo a isso, leis inclusivas começaram a surgir: racismo passou a ser crime, a homossexualidade deixou de ser considerada uma doença pela Organização Mundial de Saúde, além da obrigatoriedade na contratação de pessoas com deficiência física.

4 benefícios da diversidade nas organizações

diversidade nas organizações

Apesar de o seu início estar fortemente atrelado ao cumprimento de leis, hoje já é de conhecimento da maioria dos líderes de grandes organizações os diversos benefícios de trabalhar e promover a diversidade e inclusão das minorias nos ambientes empresariais.

1. Equipe engajada

De acordo com uma pesquisa da Deloitte com empresas australianas, o engajamento dos funcionários é resultado da diversidade. Isso pode ser explicado, pois, ao se sentirem incluídos, os funcionários se engajam mais em processos e projetos da organização.

Como consequência do alto engajamento de diferentes pessoas da equipe, há crescimento da produtividade dos colaboradores. Ainda sobre esse aspecto, é possível ressaltar a redução do turnover voluntário. Ou seja, menos os colaboradores tendem a buscar outras oportunidades de emprego.

2. Imagem positiva

Quando uma empresa promove a diversidade e inclusão, ela é vista como uma organização socialmente responsável e mais humana pelo seu público. Na maioria dos casos, os próprios funcionários acabam fazendo a comunicação para familiares e amigos sobre as iniciativas de inclusão da empresa.

Além disso, a diversidade facilita o relacionamento com pessoas com diferentes perfis. Logo, novos mercados, parcerias de negócios e clientes podem ser alcançados. Afinal, a organização sabe como se comunicar com grupos plurais, pois vive isso no seu dia a dia.

3. Rápida solução de problemas

A diversidade traz para as empresas pontos de vista diferentes sobre uma mesma situação. Logo, diversas soluções são propostas para resolver um problema, e a resolução deve aparecer mais rápido.

Além disso, há estudos que comprovam que equipes diversas tendem a resolver problemas com mais agilidade do que times com indivíduos semelhantes, por haver informações e conhecimentos distintos. Assim, as tomadas de decisão são mais eficientes e com base em informações mais aprimoradas.

4. Aumento da criatividade e inovação

A exposição a ideias diversas levam a mais criatividade. É só pensar em um brainstorming para perceber que uma ideia pode começar de uma maneira, vindo de uma pessoa, e ser aprimorada por um grupo com outras vivências e pontos de vista.

Isso significa que diversidade e criatividade andam juntas. É possível dizer ainda que elas são pilares fundamentais para inovação. Como consequência disso tudo, há a inovação, que atualmente é algo essencial para a sobrevivência em um mercado tão concorrido.

Como promover diversidade nas organizações

A implementação da estratégia de promoção da diversidade nas organizações deve ser um esforço de todos os líderes da empresa. A partir da consciência da liderança sobre a necessidade e importância da inclusão, deve-se iniciar a execução de algumas atividades que tem como o objetivo aumentar a diversidade.

O primeiro passo para ter uma empresa com maior representatividade de minorias é atrair essas pessoas para participar do processo seletivo para então contratá-las. Apesar de parecer algo óbvio e simples de ser feito, há algumas ações que podem — e precisam — ser tomadas para que esses indivíduos se sintam representados pela sua instituição. Alguns exemplos:

  • ter as descrições de atividades de cada uma das vagas com o texto mais neutro possível;
  • divulgar fotos e vídeos que mostrem a diversidade já existente na empresa;
  • desenvolver uma política formal de diversidade que possa ser visualizada no local de aplicação para o processo seletivo;
  • selecionar pessoas de minorias para fazer parte do time de recrutadores.

Junto à equipe de recursos humanos, mais especificamente os responsáveis pela cultura organizacional, é importante elaborar uma política contra qualquer tipo de discriminação. Contudo, mais importante do que ter tal documento é fazer com que todos da empresa o conheçam e façam com que ele seja cumprido. Por isso, também é essencial que exista um canal onde denúncias possam ser feitas de maneira segura.

Por último, planeje e promova atividades que incentivem a diversidade e inclusão na empresa. A comemoração de dias como das Pessoas com Deficiência, Consciência Negra e Semana do Orgulho LGBTQI são exemplos de datas em devem ser trazidas pautas sobre cada um desses grupos.

Em resumo, a diversidade nas organizações deve ser algo discutido entre todos os colaboradores. É papel dos seus líderes garantir que as minorias se sintam incluídas e não sofram qualquer tipo de preconceito.

A estratégia e as ações por parte do time do RH podem ser muito bem pensadas e executadas. Mas isso não será o suficiente caso não haja capacitação do time para viver uma empresa mais diversa. Pensando nisso, recomendamos a leitura do artigo "Treinamento e desenvolvimento: capital humano como vantagem competitiva para empresas inovadoras".

Saiba qual curso do Emeritus tem tudo a ver com você!Powered by Rock Convert

Comente

Receba Conteúdos exclusivos
sobre Business Management!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.